domingo, 5 de abril de 2009

O tempo...


Ele define. Também conceitua. Cria adjetivos. Substitui sentidos. O tempo é.

O tempo...
Pra que?
Marcar de rugas a expressão?
Amolecer o que foi rígido?
Lembrar que ele manda?
Sim. Não. Talvez.
Os três.
Juntos.
Separados.


O tempo...
Ah! o tempo.
É relativo.
Porque envelheço.
Porque infantilizo.
Porque melhoro.
Porque pioro.
Sou cada vez mais eu.
Com o tempo.

O tempo...
Diz nada.
Quando quero ouvir.
Diz tudo.
Quando não quero.
Impiedoso.
Generoso.

O tempo...
Faz crescer.
No próprio ritmo.
Faz viver.
Coisa pra ser vivida.
Faz querer.
O possível e o impossível.
Faz arrepender.
Das coisas malfeitas.
Das coisas nãofeitas.

O tempo...
Faz acreditar.
Em tudo que posso.
Faz vibrar.
Com o miúdo da vida.
Faz amar. Por amar.
Faz odiar.
E amarga o coração.

O tempo...
Caminha quando não quero.
Para quando quero ir além.
É tudo.
É nada.
Por nada.
Por tudo.

O tempo...
É luz.
É falta dela.
O tempo.
É.
O que quero.
Que seja então.
Apenas em tempo.

5 comentários:

Lorena disse...

Rei, é poesia. E parece que mostra o tempo que você está vivendo. Como as minhas poesias, que classifico como reflexivas (um estilo que não vi ainda na literatura....rsrs... eu apelidei meu modo de escrever...rsrs) Esta sua também vai na mesma linha poética. Quem escreve como você escreve qualquer gênero literário. Aliás, lembro de um dos nossos planos: escrever um roteiro teatral, lembra? Será que agora você terá "tempo".

Beijos

Reinaldo C. Zanardi disse...

Lorys que bom que gostou. Eu curti muito escrever desse jeito que não ousaria classificar. E sobre a promessa do roteiro de teatro, podemos pensar nisso. Agora não sou mais escravo do tempo? Quero ser o senhor do meu próprio tempo. Tempo para ter tempo. Bjos.

Carolina disse...

Reinaldo, amei a poesia! "Diz tudo... diz nada"... verdadeiramente!
Me fez lembrar de uma música q marcou minha vida, "Paciência" do Lenine.
"Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara..."
Beijos
Saudades!
Carol Chueire

Reinaldo C. Zanardi disse...

Olá Carol, que bom que você gostou. Confesso que escrevi num formato bem diferente do que venho fazendo. Espero que tenho outras, assim. Tomara que você goste novamente. Saudades de você também. Bjo.

alana disse...

o tempo lembra
o tempo esquece
o tempo faz vir
o tempo faz ir...
eu não gosto muito do tempo
mas eu acho incrível quando ele "pára"!

eu adoooro ler teus devaneios!

Beijos reeeei =D