domingo, 31 de maio de 2009

São lembranças


Elas são o que são / nada mais / nada menos

Lembranças são o que são.
Ruins.
Boas.
Amargas.
Doces.
E são nossas.

Nos transformam no que somos.
Nos transformam no que seremos.
E o que queremos?

Depende apenas de nós.

Culpar os outros?
É transferir responsabilidade.
Culpar a si próprio?
É penitência!
É auto-flagelo!

Prender ou soltá-las?
Elas são o fim.
E o começo.
O começo do fim.
O fim do começo.

Lembranças são o que são.
Somente lembranças.

4 comentários:

Ana Carla Barbosa disse...

Foto ótimaaaa!

Danilo disse...

Ah tah! então não vai ter crônica em junho? Reinaldo, as férias são só em julho!!! Faz uma crônica sobre São João, festa junina!

abraço!

Reinaldo C. Zanardi disse...

Pode deixar Danilo, pensarei em alguma coisa do tipo...

A nós descei divina luz.
A nós descei divina luz.

principalmente, depois da decisão do Gilmar, o presidente do Tribunal de (In)Justiça, que nos comparou a cozinheiro. Se ainda fosse a um chef, alo mais up, vá lá...

Danilo disse...

É verdade, quando eu soube da decisão do STF, a música que me veio da cabeça foi exatamente: A nós descei divina luz...