quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Essa Língua Portuguesa

Criança tem um senso lógico muito interessante e relacionado à Língua Portuguesa as palavras assumem contornos, revelando novos sons, formas e – por que não? – sentidos. Num parquinho com meu filho, dias desses, acabei ouvindo o papo de duas crianças pequenas. Um agrediu o outro verbalmente e este tascou um adjetivo.

__Seu psicopato!

A Yvone deve ter se deleitado na novela das oito. Está fazendo escola até no jardim de infância. Se bem que não precisa muito, criança também sabe ser perversa, afinal bulling é uma prática criminosa infantil. Mas enfim...

Como explicar que um menino não é psicopato, mas um psicopata? Afinal na nossa língua – com implicações sociais e definições de gênero – menino é O e menina é A? Que nem aquela coisa das cores, menino é azul e menina e rosa. Então nada mais lógico que a menina é psicopata e o menino é psicopato.

Alguns autores – ignorando as regras gramaticais mais ortodoxas – andam flexionando as palavras para concordar com o gênero. Por exemplo, há quem defenda a cobra macha e o elefante fêmeo. E o pior de tudo, ao digitar isso no Word, o programa não apontou erro algum. Vai entender...

Talvez seja mesmo a inocência infantil e o senso das crianças falando mais alto. No processo de educação, os métodos mais modernos ensinam que se deve respeitar o jeito da criança falar. Ela não fala errado, fala do jeito dela. Mas chega uma hora que vai querer aprender a falar corretamente.

Isso me lembra uma amiga que conversava com o filho pequeno e este perguntava algo e a mãe insistia que o jeito do filho falar era correto porque era o jeito dele. O moleque não agüentou e advertiu a mãe.

__Não quero do meu jeito, quero do jeito certo!

Então tá.

Deve ser por isso que quando o Otávio era ainda mais criança mudava umas palavras que, aparentemente, não faziam sentido. A centopéia virou miltopéia, afinal parece ter mais de mil perninhas; e o caramujo virou caranojo. Realmente, o bichinho é nojento!

2 comentários:

Danilo disse...

Reinaldo, é por isso que a personagem que eu mais gosto no mundo é a Emília, do Sítio do Picapau Amarelo. A reforma gramatical que ela fez tornou este o livro que eu mais gosto na série do sítio.

Ah, e acho que o Otávio e ela se dariam muito bem. Você não acha?

Reinaldo C. Zanardi disse...

É a Emília é perfeita mesmo, Danilo. enho um vídeo dela no meu perfil no Sítio quando ela se casou com o Marquês de Rabicó. Ela usa a língua do P. Perfeito. Acho que o Otávio gostaria sim dela. Vou ver alguns livros e passar pra ele. Valeu a dica. Abração.