quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Esses médicos

Hospital do Câncer. Instituto do Rim. Clínica de Reumatologia. Hospital do Coração. Clínica de Fraturas. Hospital dos Olhos. Clínica de Alergia e Asma. E cadê a clínica do paciente? Isso mesmo. Já repararam que as clínicas de atendimento à saúde excluem o paciente do nome?

Nunca entendi isso direito, mas é assim ó. O profissional de saúde, depois de formado, abre um negócio próprio – sozinho ou se junta com outros e outras também – e coloca o nome da especialidade que atende, ou melhor, o órgão que atende. Coração. Joelho. Olhos. Rim. E assim por diante. Ou então, optam pela doença na qual se especializaram e – mais uma vez – excluem o doente. É a Clínica da Reumatologia. Da Asma. Do Câncer. Das Doenças Infecciosas. Das Doenças do Aparelho Respiratório. Das Doenças do Aparelho Circulatório.

Uma vizinha minha – a Creide, aquela que tem fama de falar demais – diz que funciona assim porque o médico – e a médica também – não se relaciona com o paciente, mas com a doença. Segundo ela, eles preferem tratar da doença em vez de tratar do doente. É meio esquisito, mas sabe que faz sentido! Isso me faz lembrar que, dia desses, eu estava com um dor na coluna por causa de um desvio da terceira vértebra lombar, bacana não!, e fui procurar o ortopedista que atende a família.

__É paciente antigo?
__Não, nunca fui atendido aí, somente minha sogra, pais, mulher, filho e enteados.
__E qual o seu problema?
__Coluna, ou melhor, dor de coluna.
__Então... para pacientes novos, o doutor só está atendendo joelhos.
__Tudo bem, eu levo os dois na consulta. Pode falar pro doutor.


Argumentei com a secretária. Que eu levava os dois joelhos na consulta. Que minha família já era paciente dele. Que ele fora muito bem recomendado. E não teve jeito. Tive que procurar outro médico que trata de coluna, ou melhor, de doenças da coluna, das dores da coluna.

__Meu nome? Ele nunca perguntou.

É! a Creide tem razão.

Um comentário:

Guilherme Palma disse...

bons tempos dos nossos pais e avós que era clinico geral
a relacao paciente e medico era mais humana