quinta-feira, 12 de novembro de 2009

O enxerido


Eles são bons. Eles são maus. E, mesmo assim, são necessários à natureza e à vida humana. Quando viram praga é sinal de desequilíbrio. Do ecossistema. E quem o faz? O homem e também a mulher. A ação humana põe em risco o meio ambiente.



Alguns ajudam a polinizar as plantas, chegando a ser bons colaboradores em áreas agrícolas. Outros são bons produtores - em trabalho não remunerado - e a produção vendida pelo homem e também pela mulher. Entre os produtos estão o mel, a cera e a seda. Essa um mimo para a indústria da moda.


Em alguns lugares do mundo, eles viram petiscos e, às vezes, o prato principal da culinária. Vai um biscoito de bico-da-seda num barzinho japonês? Que tal uma porção de percevejo moído com pimenta e (per) cerveja no México? No Brasil, as tanajuras fritas são boas iguarias.


Além da culinária, os insetos também são usados para fins medicinais. Já ouviram falar de larvas usadas para tratar feridas? É isso mesmo, as larvinhas do bem comem os tecidos mortos das cacas humanas. Credo!


Uns são feios. E de tão feios ficam até simpáticos. A simpatia chega a ser tamanha que alguns posam para a foto, como o enxerido formigão que espia por detrás da folha de orquídea. Eles têm até uma ciência própria para estudá-los: a entomologia.


É isso mesmo: os insetos até parecem inspirar discurso de presidente norte-americano. Sim, eles podem.

Nenhum comentário: