terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Atendimento preferencial

Eu sei! Antes que me acusem de discriminar os velhinhos, as grávidas, as mães com criança no colo e as pessoas com deficiência, vou logo adiantando. Sou favorável ao caixa exclusivo que fura a fila em supermercados, bancos, lojas de departamentos e em outros estabelecimentos para esse público - digamos - especial.

Mas um aspecto vale à pena debater. Quando você está no horário de almoço para pagar aquela conta que só é recebida na boca do caixa, já reparou o quanto de idoso, grávida e pessoa com deficiência passam a sua vez?

Quando você consegue fazer o serviço depois de muito tempo, vê aquele velhinho sentado no banco do calçadão fazendo nada. Tudo bem! Ele já trabalhou a vida inteira e tem direito, assim como a gestante, a mãe recente e a pessoa com deficiência têm suas necessidades especiais - temporárias ou não.

Agora dizer que 7 idosos, 3 grávidas, 4 mães com bebê no colo e 2 cadeirantes passarem na sua frente e isso ser algo prazeroso e que não incomoda, é mentira.

O pior é quando você fala sobre isso e sempre tem um idoso - sem cara de idoso - do seu lado que sai com alguma coisa parecida com isso.

__Não se preocupe meu jovem, o seu dia vai chegar e você vai poder usar o caixa do atendimento preferencial.

Será? Não se faz mais idoso como antigamente. Os de hoje demoram mais para morrer. Ainda bem. A expectativa de vida e a idade ao morrer aumentam significativamente a cada ano pelas descobertas da ciência e da melhoria da qualidade de vida.

Por causa disso, uma coisa me preocupa. Quando eu puder usar o caixa exclusivo para idoso vai ter tanto velho como eu que é possível inventarem um caixa exclusivo para jovens que poderão ser a minoria. E mais uma vez a minha fila vai ser grande. Ô azar!

3 comentários:

Guilherme Palma disse...

o que mais incomoda é o fato de usarem o horario de almoço, poxa eles tem o dia inteiro para ir ao banco
eheh
abraço reinaldo

Eliane disse...

Sabe que eu não havia pensado nisso? Daqui uns tempos os jovens vão ser mesmo minoria e talvez eles é que tenham atendimento preferencial. Ou a idade para que uma pessoa comece a ter atendimento privilegiado seja após os 70, algo assim. Por outro lado, Reinaldo, sempre penso quanto à real necessidade. Puxa, a gente sabe... a gente vê... que tem mulher com um mês de gravidez que vai na fila preferencial ... É preciso? Já vi mães pegarem o filho no colo só para serem atendidas antes... Isso não me parece justo. A velha discussão entre o que é legal e o que é moral. Abraços.

Zaratustra disse...

Quando eu trabalhava como caixa de Banco (graças a deus hà muito tempo atràs) e ficava sozinho de meio-dia, atendia um velhinho e um da fila normal, alternadamente.

Eh mais questao de bom-senso dos caixas. Aliàs caixa é uma funçao tao emburrecente que nao se deve culpa-los pela estreiteza de seus pensamentos. Culpemos alguèm mais apropriado, como o gerente da agencia, que aliàs, è (quase)sempre o vilao.

saudaçoes