quarta-feira, 31 de março de 2010

Inquietudes (16) do Rei

A participação é muito importante para a democracia e a construção de uma sociedade transparente, ética e responsável. É por isso que pobre se organiza e rico faz lobby.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Dia de feira

Saí de casa hoje e vou para a feira. Vida de dona de casa não é fácil não. E ainda tem gente que diz que não trabalhamos. Filho - então - é uma ingratidão só. Que falta de reconhecimento!

__Minha mãe não trabalha. Ela é dona de casa.

Ai que raiva! Vou botar o moleque pra lavar e passar roupa, fazer comida e limpar a casa. Aliás ele já faz algumas coisas. Tem lá suas tarefas. Mas ainda bem que uma vez por semana, a Salete - a diarista - vem me ajudar com a faxina mais pesada. Enfim...

Na feira, sempre gasto mais do que eu preciso. Também, o seu Toninho é uma praga. Na barraca de frutas e verduras ele convence qualquer pessoa a levar até jaca. Uia! Até que o sabor é bom, mas é muito pegagosa.

__Bom dia, dona Creide, o que vai ser hoje?
__Bom dia seu Toninho. Hoje vou levar só o que preciso: pimentão, cebola, alho e um pouco de vagem.
__Mas as frutas tão lindas hoje, dona Creide. Dá uma olhada na lichia. Chega tá brilhando.
__Não começa seu Toninho. Hoje vou gastar no máximo 15 reais.
__Tudo bem dona Creide... mas prova uma lichia. Tá docinha demais.
__É verdade, bem saborosa mesmo.
__Prova outra dona Creide. E pra senhora eu faço por 2,90 o quilo.
__Tá bom. Você me convenceu. Vê um quilo pra mim. E pega um quilo de vagem, três pimentões um de cada cor: verde, amarelo e vermelho, meio quilo de cebola - quero das pequenas - e umas cinco cabeças de alho.


Seu Toninho é muito ágil e empacota tudo o que pedi.

__Dona Creide, a senhora viu essa couve. Olha que folhas durinhas. O verde dá gosto. Imagina isso, refogado com bacon, dona Creide.
__É verdade, é muito bom mesmo. O Alcides [é o traste do meu marido] bem que disse outro dia que queria que eu fizesse couve pra acompanhar uma feijoada. Então, pega um maço pra mim seu Toninho que vou fazer amanhã que é sábado.
__E essa abobrinha dona Creide, olha que coisa fina. Essa veio de um produtor especial. Isso refogado com queijo fica uma delícia.
__É verdade, eu vi uma receita na Ana Maria Braga que deu água na boca. Pega cinco desse tamanho
[aponto para uma abobrinha].
__A senhora não vai levar banana hoje?
__É verdade, sabe que tá faltando lá em casa. O Alcides Junior adora a fruta e como ele tá crescendo... Pega meia dúzia, seu Toninho.
__Dona Creide, olha essas laranjas. Vem do situo de um japonês que eu conheço há muito tempo. Prova essa aqui... Docinha não, dona Creide?
__Dá pra fazer um suco muito gostoso. Faz o seguinte, pega uns dois quilos que eu vou estrear a minha juicer. Ela é rápida e muito prática, seu Toninho.
__Só que consome muita fruta, dona Creide. Outro dia, a molecada lá em casa gastou um saco de laranja em Três dias.
__Então põe mais um quilo dessa laranja, seu Toninho. Agora soma tudo pra mim.
__Dona Creide, a minha irmã tá fazendo um licor muito bom. Tem licença da prefeitura e tudo. Experimenta esse aqui que é de café.
__Que delícia, seu Toninho. Dá até um arrepio na garganta. E esse aqui do que é?
__De jabuticaba. Esse é um dos que mais vende.
__Seu Toninho, seu Toninho. Desse jeito eu vou gastar muito.
__Que nada dona Creide, pra senhora eu deixo por 6 reais o vidro e olhe que é de meio litro, hein.
__Embrulha os dois então, seu Toninho. E agora soma tudo pra mim.


Alguns segundos depois...

__Dona Creide, tudo deu 36 e 50. Vou deixar por 35.
__Tudo isso seu Toninho. E olha que eu vim pra gastar só 15 reais!
__É tudo de primeira dona Creide, a senhora não vai se arrepender.
__Tá bom seu Toninho. Vou dar agora 20 reais. Já peço pro Alcides Junior trazer o resto do dinheiro. Bom dia seu Toninho.
__Bom dia dona Creide e volte sempre.
Seu Toninho sabe mesmo convencer os fregueses.

__Bom dia, o que vai ser hoje freguesa?

terça-feira, 23 de março de 2010

Insetos do Rei



Lavadeira
Lava-bunda
Jacina
Cavalo-de-judeu
Cavalinho-do-diabo
Cavalo-do-cão
Ziguezigue
Libelinha
Donzelinha
Pito


A libélula é conhecida de diversas formas.

Umas engraçadas,
outras preconceituosas.
Na foto para o Rei,
ela faz pose,
colorida,
transparente,
esguia.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Inquietudes (15) do Rei

Jornalistas, veículos de comunicação e outros comunicadores não são culpados pelas besteiras ditas por suas fontes e entrevistados. Eles são responsáveis por publicar as besteiras ditas por suas fontes e entrevistados. Se essas besteiras implicam em discriminação, fomento ao preconceito ou informação distorcida que afete pessoas ou grupos, deve ter um preço. Tanto para quem falou quanto para quem a publicou.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Liberdade de expressão

A internet tornou-se uma grande aliada da democracia, mesmo sendo um espaço onde habitam a baixa e a alta qualidade da informação. A interatividade transformou o leitor em produtor de conteúdo. Este não mais apenas lê. Ele informa. Ele educa. Ele conscientiza. Isso do lado do bem. Pelo lado do mal, ele distorce. Ele manipula. Ele mente. Ele xinga. Ele reproduz o que muitos veículos de comunicação fazem. Uma pena.

A liberdade de expressão é um direito no processo democrático e deve ser usado com responsabilidade. Muitos - anonimamente ou não - usam esse direito para difamar e contribuem nada para o debate. Desqualificar ideias é parte do processo democrático. É natural e saudável.

Desqualificar interlocutores e pessoas é típico de gente intolerante, sem conteúdo e que quer ganhar no grito. Esse segundo tipo de gente (se podemos chamar assim) está presente em todos os setores, do operariado ao doutorado universitário. Aliás, quanto mais alta a patente, maior o ego da personalidade.

__Você sabe com quem está falando?
__Uma besta de ego inflado. Podem responder os mais topetudos.

Uma pena. Isso não fortalece a democracia e muitos menos o debate de ideias.

Passeando por portais noticiosos, principalmente nas editorias de política, é possível verificar o grau de intolerância democrática de milhões de internautas. Em matérias sobre governos, a discussão gira em torno do caráter dos homens e das mulheres de plantão.

O debate - se for entre idéias de PT e PSDB - vira luta entre tucanalhas e petralhas. É o bem contra o mal. E fica difícil saber quem é deus e quem é o diabo. Tudo é uma questão de ponto de vista, versão ou enfoque definidos a partir do próprio interesse, do próprio umbigo. Para muitos, é preferível defender um amigo sacana e sem vergonha que um adversário correto.

A redemocratização brasileira deu a oportunidade de muitos falarem o que querem, mas não aceitam ouvir o que não querem. Afinal os militares brasileiros (aqueles que muitos ainda defendem a volta ao poder) taparam a boca de muita gente com tortura, desaparecimento e morte. É compreensível que depois de um modelo fechado e ditatorial, se estabeleça como padrão outro modelo: aberto, arreganhado até.

Em nome da liberdade de expressão, garantida pela Constituição Federal, não se pode cometer crimes também previstos e condenáveis pelo documento. Não se pode fazer apologia ao crime, discriminar e outras coisas do gênero. Expressar-se é um direito. Expressar-se com responsabilidade é um dever. E sinal de inteligência e maturidade.

domingo, 14 de março de 2010

Inquietudes (14) do Rei

A sociedade brasileira quando discute segurança pública parece querer organismos policiais mais para a segurança patrimonial que para a segurança à vida. Quanto custa a morte de um rico e quanto custa a morte de um pobre? E a repercussão? Morte de pobre, preto, da periferia sensibiliza e mobiliza autoridades policiais, políticas e econômicas? A morte tem classe social.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Inquietudes (13) do Rei

A mídia brasileira teme a participação popular nos meios de comunicação porque a liberdade de expressão – bandeira da elite midiática – vai mostrar que a expressão no Brasil é pouco livre. Afinal a cobertura dos veículos de repercussão nacional é padronizada e sem pluralidade de opiniões.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Inquietudes (12) do Rei

A liberdade de expressão não é um valor absoluto da democracia. Se fosse, qualquer pessoa poderia, por exemplo, defender abertamente – pela mídia – ideias racistas, sexistas e outras formas segregacionistas. A liberdade de expressão não confere ao seu autor o direito de defender uma opinião de apologia ao crime.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Inquietudes (11) do Rei

Por que a imprensa brasileira repercute, em horários de grande audiência, reportagens da Veja e não repercute, por exemplo, reportagens da revista Carta Capital?