quarta-feira, 28 de abril de 2010

Lambanças

Hoje acordei e minha cara parecia uma camiseta preta que tinha sido batida na máquina de lavar roupa juntamente com um tapete de barbante que foi feito por mulheres vítimas de violência abrigadas num projeto da prefeitura e que foi comprado numa feira de geração de renda e esse é um termo muito sem-vergonha inventado por um riquinho de papo pro ar porque eu não tenho renda tenho salário baixo mas salário que neste mês não chegou no dia 15 e estou no cheque especial que de especial não tem nada é uma desgraça por causa dos juros que queimam o bolso que a tia costureira fez e ela ganha a vida em cima de uma máquina de costura e sua especialidade é roupa para dia santo que já foi homem de pecado como diria o Zeca Baleiro ex-vendedor de balas e eu gosto de bala sete belo que tem cheiro e gosto de infância que traz à lembrança uns traumas como o sagu de sobremesa todo domingo depois do macarrão com molho de frango que não tinha hormônios como os de hoje em dia que não são gordos são inchados pelo excesso de produto químico que nem aqueles da tabela periódica credo quantos símbolos da tabela que até hoje não sei para que servem do verbo servir um interessante verbo porque lembra serviço que lembra trabalho que lembra salário que lembra que não sou rico para viver de renda e este mês termina o prazo para o contribuinte entregar a declaração do imposto uma aberração tributária que esfola a classe média que paga a conta das bolsas mochilas sacolas e a corrupção vereadores deputados governadores empresários e esse ano tem eleição para um monte de cargo eletivo e a urna eletrônica vai ficar esfolada no final do dia com tanta dedada mas do que mesmo eu estava falando
?

5 comentários:

Mayara disse...

Gostei! É um tal de emenda emenda que acaba virando mesmo uma lambança. Muito, muito bom !!

TyZ disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Adoro este blog, Rei!

Ana Carla Barbosa disse...

Gostei bastannnnnnnnnnnnnte!

Bruxices tolas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruxices tolas disse...

É a possibilidade de estabelecer essas relações e lambanças que mantém nossa sanidade... e viva a velocidade do fluxo contínuo de Rei e sua língua viperina!!!!!!!!!!!!kkkkkkkkkkkkk