domingo, 27 de junho de 2010

Corporativismo vergonhoso


Pior que a conduta do policial Carlos Roberto Almeida, no caso da porta giratória do Banco Santander divulgado pela imprensa, é a posição do delegado-chefe da Polícia Civil, Sérgio Barroso. É comum o corporativo rasteiro da Polícia, mas não deve ser admissível. A Polícia, quando acusada, deve investigar o comportamento de seus integrantes e, por favor, delegado-chefe, atenha-se aos fatos.

Barroso disse ao JL que o policial "foi constrangido e humilhado." Julgamento público sem averiguação é manipulação. E se for apenas opinião de Vossa Senhoria - delegado - sobre o policial Almeida, guarde-a para si. O cidadão e a cidadã não pagam impostos para suas autoridades emitirem juízo de valor antes das investigações necessárias.

Comentário enviado ao Jornal de Londrina em setembro de 2008. Não vi se foi publicado.

Um comentário:

Guilherme Palma disse...

concordo. atenha-se aos fatos.
quanto à mudança de sexo é meio complicado o assunto. eu por enquanto me abstenho