quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Inquietudes (37) do Rei

Numa eleição, quando a cobertura jornalística é irresponsável e partidária, em vez de criar consciência política, a mídia joga a consciência do cidadão e da cidadã na vala comum.

Quem perde com isso é a própria democracia que se vê fragilizada pela falta de participação responsável.

E quem ganha com isso? Os segmentos que souberem se organizar mais.

E o eleitor comum continua achando político "tudo igual", que todos roubam e que não adianta fazer nada.

Combater a corrupção, e a imprensa verdadeiramente livre é fundamental, é uma tarefa muito maior que combater os corruptos deste ou daquele grupo político-econômico-ideológico.

Um comentário:

Zaratustra disse...

O grande problema do eleitor comum é que ele não se interessa pela política. E o problema é que quem não se interessa pela política será governado por aqueles que se interessam. E por isso há anos temos esse círculo vicioso.