domingo, 28 de novembro de 2010

Controlar não é censurar – final


Controlar a partir da participação popular é a chave e o mecanismo para a construção de veículos de comunicação mais democráticos. Chave para abrir os segredos que cercam os interesses dos grupos de comunicação - cujos proprietários juram ser coletivos. Mecanismo para facilitar o acesso do telespectador, ouvinte e leitor ao conteúdo dos meios - tanto de informação quanto de entretenimento.

Esse processo, naturalmente, não será rápido nem construído do dia para a noite, muito menos pela caneta de qualquer representante político. É uma necessidade que deve ser gestada na própria sociedade que deve reivindicar. E negociar. E cobrar. E pressionar. Enfim, participar.

3 comentários:

Anônimo disse...

Do Dicionário Livre

CONTROLAR: v.t
1 Dominar, ter poder sobre

2 Vigiar, manter sob vigilância

3 Conter, ter sobre sua vontade

4 Dominar, submeter.

Isso não é censurar?

Será que o governo petista vai cometer mais abusos que já o fez e por isso quer submeter a imprensa???????

Reinaldo C. Zanardi disse...

Se vc, caro anônino, consegue reduzir o conceito de controlar à definição literal do dicionário, sem levar em conta todo a discussão feita neste espaço, acaba matando qualquer possibilidade de debate.

Em tempo, não existe imprensa livre no Brasil. A grande mídia não defende a liberdade de expressão. Ela defende a liberdade de empresa, o que é bem diferente.

Wilson Sanches disse...

A liberdade absoluta, pela qual muitas empresas midiáticas lutam, não é possível em um Estado politicamente organizado. "O homem entrega a liberdade natural em troca desta liberdade civil a cargo do Estado" (thomas hobbes). Acredito que a liberdade civil, de cidadão iguais perante a lei, deve ser defendida pelo Estado e pela sociedade Organizada.
Abraço Reinaldo.