sábado, 9 de julho de 2011

Capacidade destrutiva

A Creide folheava o Jornal de Londrina (JL) de ontem (dia 10) e leu com muita atenção a reportagem "Falta de estrutura ameaça coleta seletiva". Ela se ateve inicialmente no trecho.

"A coleta seletiva em Londrina, que já foi referência nacional, vive uma situação extremamente crítica. Apenas metade da cidade tem o material reciclável coletado porta a porta com certa regularidade."

E ao JL, Sandra Araújo, presidente da Coocepve, entidade que recolhe e faz a triagem do lixo reciclável, fez um alerta pessimista.

A coleta seletiva em Londrina vai acabar. Está prestes a entrar em falência. Depois de um trabalho tão bonito e difícil, que foi sair do lixão, enfrentar os moradores com medo da gente e o nosso medo deles, conseguimos que Londrina se tornasse referência nacional em coleta seletiva. Agora tudo isso está indo por água abaixo."


A repórter Erika Pelegrino afirma que segundo Sandra Araújo, "desde que a prefeitura rompeu o contrato com a Visatec (empresa que transportava o material reciclado para os barracões), em maio deste ano, o serviço está desestruturado."

Érika Pelegrino afirma ainda que "a cidade que já foi premiada por sua eficiência em coleta seletiva, hoje tem amontoados de material reciclável pelas ruas, praticamente em todas as regiões." O programa de coleta seletiva premiado foi responsabilidade da administração municipal que cumpriu dois mandatos: 2001/2004 e 2005/2008.

A repórter destacou que "a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanismo (CMTU) foi procurada durante dois dias, mas não se posicionou sobre o caos da coleta seletiva em Londrina." Silêncio e caos são duas marcas da irresponsabilidade.

Depois de ler o JL, a Creide ficou pensando sobre o ser humano e a política. Ela ruminou algumas ideias sobre a capacidade de uma administração pública desfazer - para ser mais exato destruir - o que outras fizeram. O que leva um prefeito a destruir programas que deram certo para a cidade, implantados por administrações anteriores?

__Ego? Incompetência? Falta de projeto político? E o pior é que a atual gestão de Londrina ainda quer encontrar um culpado para o seu fracasso. Nessas horas lembro-me de uma frase célebre de Winston Churchill.

"Construir pode ser a tarefa lenta e difícil de anos. Destruir pode ser o ato impulsivo de um único dia."

Nenhum comentário: