sábado, 2 de julho de 2011

"E eu não vou nada bem"

Há dias em que o melhor é não sair da cama mesmo.

Estava um frio de rachar; foi tomar banho e não havia energia na região.

Mesmo sabendo que não havia luz, em todo cômodo que passava, pressionava o interruptor para acender a lâmpada.

Conseguiu se arrumar.

Foi dar a partida no carro e percebeu que o pneu estava furado.

Trocou o pneu.

Pegou a avenida que costuma; trânsito impedido; uma batida bloqueava o caminho.

Teve que dar uma volta maior e todos - naquela hora - fizeram o mesmo; trânsito lento.

Ao chegar ao trabalho não conseguiu entrar; um problema no sistema bloqueou o crachá eletrônico.

O porteiro - com cara de porteiro - disse que não poderia resolver; somente com ordens superiores.

Meia hora depois, conseguiu localizar alguém que tivesse autonomia para resolver o problema.

Já no trabalho, foi terminar o relatório do dia anterior; o computador não havia salvado a última operação; perdeu quatro páginas de conteúdo.

Refez as quatro páginas de conteúdo do relatório; entregou com duas horas de atraso.

A chefia - com cara de chefia - estrebuchou.

Foi almoçar; na saída do restaurante um desavisado - com cara de desavisado - bateu atrás do carro.

Chamaram a polícia; acionaram o seguro; guincharam o carro.

Voltou para o trabalho; tentou não fazer muita coisa para não ter mais problemas.

Final de expediente; voltou para casa de ônibus.

Não sabia ao certo a linha que pegar; pegou a errada e parou distante de casa umas 12 quadras.

Foi andando o trecho que faltava; era muito trecho; não percebeu um buraco; torceu o tornozelo.

Mancando chegou em casa; queria tomar um banho quente d-e-m-o-r-a-d-a-m-e-n-t-e.

Pressionou o interruptor; a energia havia sido restabelecida na região.

Mancando foi para o quarto; o frio continuava frio.

Sem roupa, mancando, foi para o banheiro; ligou o chuveiro.

Não caiu uma gota; a companhia de água cortou o abastecimento; reparos de emergência; a caixa d'água do prédio estava vazia.

Com muito custo, mancando, colocou a roupa novamente; queria apenas paz; somente tranquilidade.

Foi para a sala, mancando, e ligou o som; música para relaxar.

No CD, Ana Carolina e Seu Jorge agonizam Chatterton.

Sangue, Sangue,
Sangue...

Chatterton, suicidou;
Kurt Cobain, suicidou;
Getúlio Vargas, suicidou;
Nietzsche, enloqueceu;
E eu não vou nada bem.
Não vou nada bem,

Chatterton, suicidou;
Cléopatra, suicidou;
Isócrates, suicidou;
Goya, enloqueceu;
E eu não vou nada nada bem
Não vou nada bem

Não vou haha, nada bem
Hahahaa
Hohohahaa
hahaaa
Nada beeem
Não vou nada bem
Chatterton, suicidou;
Marc-Antoine, suicidou;
Cleópatra [foda-se], suicidou;
Schumann, enlouqueceu;
E eu, puta que pariu!!, não vou nada nada bem
não vou nada bem
não vou nada cof! cof! cof!
não vou nada bem caham
suicidou!
Todo mundo que vocês tiverem pensando aí: suicidou! [tiro no pé]
Deram tiro no pé!
não vou nada bem
Puta que pariu!!!
Yeaaaaaaeeeeh!

Nenhum comentário: