quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Trabalhadores e trabalhadores II

Estadão
“Paralisação de médicos tem adesão de 70% da categoria, diz associação”

Portal terra
“RS: paralisação de médicos tem adesão de 90%, diz sindicato”

Estado de Minas
“Paralisação dos médicos deve suspender 90 mil consultas em MG nesta quarta”

Portal UOL
“Paralisação de médicos surpreende pacientes que tinham consultas marcadas”

No Brasil, há trabalhadores e trabalhadores. Para ler como a imprensa joga a população contra trabalhadores grevistas, clique aqui.

Para a imprensa brasileira, gente comum – tipo motorista de ônibus, bancário e funcionário dos Correios – quando paralisa suas atividades não suspende atendimento. Isso é greve e prejudica a população.

Agora quando médico, que também é trabalhador – acima dos mortais naturalmente, suspende suas atividades - não faz greve, faz paralisação e não prejudica a população, apenas “surpreende pacientes”. Que beleza!

Os sindicatos e as associações de gente comum são tidos, nas páginas de muitos veículos de comunicação, como sinônimo de atraso e responsáveis por promover a baderna, o caos, de gerar prejuízo ao desenvolvimento do país.

Com os médicos, a situação é diferente. O sindicato e a associação ganham status privilegiado e são a fonte principal na manchete da publicação. Para cada trabalhador, conforme nossa imprensa, o enfoque que ele merece.

A categoria médica tem o direito de se organizar e reivindicar melhor remuneração pelos planos de saúde. É justo! Mas remuneração não! Isso é coisa de trabalhador comum. Médico reivindica reajuste de honorários.

Ah! então tá!

Nenhum comentário: