terça-feira, 1 de novembro de 2011

O sabor de 141 medalhas

O que o Jornal Nacional fez na (falta de) cobertura do Pan-Americano de Guadalajara é caso de polícia.

O senhor William Bonner, como editor-chefe do noticiário, prova com essa atitude que informação jornalística de interesse público é a que vem atrelada a contrato comercial milionário com transmissão exclusiva de grandes eventos esportivos.


Não importam as medalhas conquistadas pelo país.

Não importa a delegação brasileira.

Não importa o investimento nos atletas e nas modalidades.

Não importa a informação.

Importa o contrato exclusivo.

Importam as cotas de anúncios publicitários na programação.

Importa o espetáculo esportivo.

Importa o espetáculo telejornalístico.


O Jornal Nacional não ingnorou apenas o Pan.

Ignorou o jornalismo comprometido com a informação de qualidade.

Ignorou os brasileiros.

Ignorou os atletas.

Ignorou o Brasil.

Falar em Conselho Nacional de Comunicação, para essa gente da Globo e de outros veículos nacionais, é falar em censura.

E o que promoveu a Rede Globo com essa atitude?

Censura por causa de interesses comerciais e econômicos.


Por isso, são necessários mecanismos para democratizar a comunicação, visto que a Rede Globo deve satisfação pública e ao público, como qualquer emissora de rádio e TV, por ser concessão.

Enquanto não há mecanismos para consolidar efetivamente a democratização da comunicação no Brasil, que a Globo faça a digestão da derrota para a Record, que conseguiu exclusividade na transmissão dos jogos.

E que essa digestão tenha o sabor de 141 medalhas, sendo 48 de ouro, 35 de prata e 58 de bronze.

3 comentários:

Paulo Briguet disse...

Reinaldo, por que você simplesmente não mudou de canal?

Reinaldo C. Zanardi disse...

Paulo, eu mudei de canal, mas isso não muda a sacanagem promovida pela Globo com o Pan e o Brasil.

Washington disse...

Excelente texto Reinaldo. Parabéns pelo vigor da crítica. Forte abraço, Washington Araújo
P.S.: Você conhece meu blog: http://www.cidadaodomundo.org ?