segunda-feira, 12 de março de 2012

Adolescentes violentos, pais negligentes e escola omissa

Chama a atenção mais um caso de violência no Colégio Estadual Professora Olympia Morais de Tormenta, na região norte de Londrina. Um estudante da 8ª série foi espancado na última semana, alguns dias depois de uma menina ser surrada por cinco adolescentes do mesmo colégio.

Pior que a delinquência juvenil, apoiada por pais negligentes, é a postura do diretor do colégio, Antônio Marcos Gonçalves. À equipe do Bonde, ele afirmou que não pode punir os agressores. "A lei não permite punições. A única coisa que podemos fazer é enviar o caso para o Ministério Público, que vai analisar se o aluno agressor precisa ou não de internamento ou algum outro tipo de punição."

Caro diretor, essa á uma visão deturpada e distorcida da legislação, incluindo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). E o pior, uma atitude omissa de quem retira do caso a sua própria responsabilidade. A legislação não proíbe a escola de montar uma comissão, verificar o que aconteceu e aplicar sanções aos responsáveis.

O Estado não tem regimento para o comportamento dos estudantes?

Então uma escola não pode repreender nem suspender aluno por mau comportamento? 

Caso a agressão fosse contra um professor, o diretor teria essa mesma atitude ou encaminharia o caso ao Ministério Público?

Com a omissão, o diretor e a escola não assumem o ônus da sua função. É óbvio que os pais devem assumir o seu papel, assim como a escola deve fazer a sua parte. Infelizmente, a declaração do diretor é a prova de que a escola pefere apenas os alunos bons, porque definitivamente não gosta ou não quer ou não dá conta de trabalhar com os ruins, tanto de conteúdo quanto de comportamento.

Nenhum comentário: