sexta-feira, 16 de março de 2012

Sobre casas e mansões

A Prefeitura de Londrina expulsou, nesta semana, 19 famílias, moradoras há décadas, do fundo de vale do córrego Tucanos, na região Sul da cidade. A eficiência é tão grande que as casas já foram demolidas. Quando quer, o poder público faz.

Dizem os legalistas. __A lei tem de ser cumprida e o poder público deve garantir isso. Se preciso, para muitos, até na ponta da bala. Pinheirinho em São José dos Campos não é um efeito colateral.

A lei é universal apenas na letra, porque quem não consegue pagar um bom advogado tem problemas. Os que conseguem pagar, conseguem muitas coisas, mas todo mundo é igual perante a lei. Perante a lei. 

Para ler a reportagem "Milionários destroem mata nativa com mansões", no Rio de Janeiro, clique aqui. Como os milionários pagam advogados caros, as mansões invasoras continuam em pé. Pelo menos por enquanto.

E por falar em mansões, o córrego Tucanos em Londrina é afluente do ribeirão Cambezinho. Um pouco antes do encontro das águas, o ribeirão represado forma o lago Igapó I.

O Igapó I é cartão postal da cidade. E área pública de lazer. Apenas numa margem. Do outro lado, o lago ostenta mansões de londrinenses. Área privativa. Propriedade particular. Cão bravo, não entre. Propriedade monitorada. Guaritas. Seguranças.

Seriam as mansões do lago Igapó I uma invasão de fundo de vale regularizada?

Ops! Invasão é uma palavra para pobres.

Rico não invade. Toma posse.

Ah então tá!

Nenhum comentário: