sexta-feira, 6 de abril de 2012

Santo e mundano

Mundano, pelo senso comum, está associado a coisas sujas, situações morais depravadas, podridão humana. 

O significado de mundano também está relacionado às coisas do mundo, a situações materiais.


E a semana santa é uma época propícia para refletirmos a nossa condição mundana e material.


Por isso, qual o espaço e o tempo que reservamos para a espiritualidade? Como alimentamos o espírito em contraposição à nossa condição mundana?


Refletir sobre a espiritualidade e praticá-la é transformar-se em santo? Absolutamente! Mas é um passo importante para nos conhecermos melhor. 


A vida é cheia de artifícios para nos desviar da espiritualidade. Tudo é feito para privilegiarmos a materialidade. 


Nos veículos de comunicação, os anúncios não vendem apenas. Persuasão é a palavra de ordem: criar uma necessidade, mesmo que seja desnecessária.


A palavra de ordem passa pelo desejo, pelo sonho. Passa mais pela noção de merecimento que pela necessidade real. 


As relações sociais se dão em rede, são construídas por cabo de forma virtual. Um scrap aqui. Outro ali. Curtir. Compartilhar.


A superficialidade marca as relações em rede. Superficialidade materializada virtualmente. Amizade de rede pode não sobreviver ao contato real. 


O sorriso da fotografia na rede social esconde o ser por debaixo da representação. A imagem na rede social é idealizada. 
A verdade pode chocar.

Sacrifício? Nem pensar. Por que se envolver com problemas alheios quando não damos conta dos nossos?


Sacrifício? Não gostamos nem queremos ser tomados para cristo. Alguém já morreu por nós. Lembramos disso?


Não precisamos ser santos, mas também não precisamos ser tão mundanos.

Nenhum comentário: