sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Exílio e exílios

Exílio está ligado ao ato de exilar.
É uma característica de ditaduras que expulsam pessoas inimigas do regime.
Em países supostamente democráticos, não existe exílio.
Apesar de estar associado intrinsecamente ao regime político, o exílio existe sob outras formas.

Um amigo pode ser exilado se não compactuar com as ideias e práticas do grupo.
Um fiel pode ser exilado da congregação se sua conduta não for dogmática.
Um filho pode ser exilado da família se sua orientação sexual não for a desejada.
Um vizinho pode ser exilado se tiver estilo de vida incompatível.
Uma pessoa pode ser exilada se tiver uma diferença que incomoda uma suposta igualdade.
Um pai e uma mãe podem ser exilados. Ou asilados?
Exemplos não faltam.

Existem os exílios opcionais.
O exilado busca, por conta própria, o exílio.
Pode ser perto, pode ser longe, mas continua sendo uma opção.
O exílio imposto tira, muitas vezes, a reação.
Exclusão.
Frustração.
Decepção.

Um comentário:

Lorena disse...

Vixe, eu sei que serve pra muita gente...rs... mas caiu como uma luva para mim, Rei.

bjs