sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Inquietudes (145) do Rei

O governo argentino - com apoio do Congresso de lá - que aprovar "a cláusula da consciência" na legislação do país. Pela cláusula, qualquer jornalista poderia - sem sofrer perseguição ou sanção - recusar-se a produzir reportagens que firam seus princípios e sua moral, ou seja, a consciência.

A imprensa, para variar, incluindo a brasileira, ataca a proposta e deturpa o debate, afirmando que isso serve aos propósitos de controle dos veículos de comunicação na América Latina. Confundem propositalmente liberdade de expressão com liberdade de empresa.

Mas o medo da mídia brasileira tem razão. Se tal dispositivo for aprovado no Brasil, e os jornalistas invocarem a cláusula da consciência, Veja fecha; Folha de S.Paulo, O Globo e Estadão quebram;  Globo, Record, SBT e Band afundam. Eita consciência danada! Não vai ser bom para os negócios.

Nenhum comentário: