sábado, 19 de janeiro de 2013

A Rainha

As recomendações do pós-operatório são muitas e devem ser seguidas rigorosamente. Alimentação saudável; dormir somente de barriga para cima nos próximos dois meses; exercícios diários de fisioterapia respiratória; caminhadas leves; relação sexual somente depois de 30 dias da alta (por que algumas orientações são mais difíceis de serem cumpridas que outras?); dormir bastante; evitar escadas e não carregar peso.

Mais fáceis ou mais difíceis, o fato é que as orientações são suportáveis, ao lado da Marlene, a Rainha do Rei. A esposa dele é de uma força imensurável. Ela o faz parecer dependente de tudo. E nesse pós-cirúrgico é mesmo. Ela o ajuda a levantar da cama e do sofá porque o tórax não tem forças.

O banho é outra aventura. Nos primeiros dias ela o esfrega e o enxuga. Tudinho. Santa intimidade! Ele até se diverte. Afinal não é sempre que terceiriza o enxugamento das partes. Ela põe a mesa e ainda serve seu prato. Dirigir? Só em sonho. A atividade estará liberada somente depois de dois meses.

E o mais impressionante, Marlene faz tudo isso com um sorriso sincero e satisfeito nos lábios. Nós homens precisamos - urgentemente - aprender com as mulheres e seu desprendimento desinteressado. Somos nada sem elas. Nada mesmo. E olha que ele não é um marido padrão; participa e muito da vida doméstica, mas nem se compara à Rainha.

Desde o dia da internação, ela dá conta de tudo. De acompanhar os dez dias de internação; de cuidar da casa - a Regina, funcionária, está afastada também por causa de uma cirurgia. E cuidar da casa pressupõe planejar e executar o abastecimento; elaborar almoço, lanches e jantar; dar uma geral quando a diarista temporária não vem; cuidar da roupa, na máquina e no ferro elétrico e ainda pensar em estratégias para distrair o Otávio, em férias. Nós homens precisamos - urgentemente - aprender com as mulheres e seu desprendimento desinteressado.

Marlene faz tudo isso e tira de letra. Também não reclama de acordar no meio da noite e ajudá-lo a levantar para fazer xixi; buscar analgésico ou água, arrumar o lençol ou os travesseiros de apoio. Nós homens precisamos - urgentemente - aprender com as mulheres e seu desprendimento desinteressado.

A cirurgia cardíaca aproximou o Rei e a Rainha ainda mais. Eles não têm dúvida que esse cuidado tem apenas uma fonte: o amor. Afinal essa relação tem mais de 17 anos. Vez e outra, ele pensa nas razões dela para fazer isso tudo com tanto desinteresse. Quer dizer nem tanto desinteresse. Ela fala com um sorriso deliciosamente sem vergonha.

__Esse cuidado vai sair caro pra você!

E ele não vê a hora de poder pagar essa dívida.

Nenhum comentário: