sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Palavrão, política e obscenidade

Uma professora da rede estadual de educação, que foi gravada falando palavrões durante uma aula no ano passado, foi exonerada pelo governo do estado. A informação foi divulgada ontem (dia 14) pela equipe do portal "Bonde". "Além dos palavrões, as imagens também mostram a professora fazendo gestos obscenos na sala."

A exoneração da professora, cujo nome não foi divulgado pela Secretaria de Estado da Educação, leva a algumas reflexões importantes que merecem ser debatidas. Arrisco algumas considerações.

1) Palavrão faz parte da cultura e da identidade do povo, independente de se achar feio ou bonito, adequado ou inadequado. Ignorar esse fato é ignorar a formação línguística da própria nação.

2) É grande a hipocrisia de muitos pais e filhos-boca-suja que soltam palavrões o tempo todo e se espantam quando ouvem de um professor. A TV ensina muito mais palavrões em um dia do que todos os professores da rede em um semestre.  

3) Uma aula no ensino básico ou superior está num contexto que tem um peso, ou seja, uma importância delimitada. Tirar desse contexto, com imagens gravadas, os palavrões é dar uma dimensão maior que pode não corresponder aos acontecimentos originais.

Dos significados possíveis para obscenidade, um chama a atenção: torpeza, que se refere à qualidade de quem é torpe cujos sentidos remetem a procedimento indigno, desonestidade e desvergonha. 

Assim, obsceno pode ser considerado o governo do Estado do Paraná:

1) quando não paga o 1/3 de férias dos professores estaduais.

2) quando popõe mudança de matriz curricular reduzindo a carga horária de disciplinas importantes para a formação da criança e do adolescente como sociologia e filosofia.

3) quando determina que as salas de aula tenham "no mínimo 39 alunos", o que gera superlotação comprometendo o rendimento dos professores e prejudicando o aprendizado dos alunos.

Um governo - quando faz política equivocada - é muito mais obsceno do que uma professora que reproduz gestos sexuais numa sala de aula.

Um comentário:

walter disse...

Ótimo texto! Hipocrisia, Obscenidade e política tentando camuflar o que não dá mais para omitir: A má qualidade da educação no país.