sábado, 16 de março de 2013

Doutrina e realidade

A escolha do novo papa fez surgir um intenso debate. Entre os que defendem o argentino Jorge Mario Bergoglio, agora Francisco I, e os que o atacam. Os primeiros afirmam ser uma escolha acertada. Reverenciam-no. Os segundos, um grande erro. Apedrejam-no.

Bergoglio, o papa que veio do fim do mundo, atrai a admiração pelos gestos de recusa à ostentação, presença íntima dos corredores e cerimoniais papais. Francisco I atrai a ira de alguns grupos, por ter supostamente apoiado a ditadura na Argentina, ou pelo menos, de ter feito corpo mole durante os anos sombrios comandados por ditadores militares.

Entre os prós e os contras sobre o resultado do Conclave, nesta semana, algumas inquietudes cutucam alguns cristãos, principalmente, aqueles que ousam refletir sobre a doutrina.

Haverá renovação com o novo empossado ao Trono de Pedro? Os divorciados que casaram novamente poderão participar da comunhão eucarística? Bento XVI, o papa-renunciante, disse - em certa ocasião - que não há essa possibilidade, mas como bom cristão afirmou.

___[Os fiéis que] ficaram marcados pela experiência dolorosa do fracasso e da separação, o papa e a Igreja apoiam a vossa dor.

Apoio sem inclusão é discurso!

E as células-tronco de embriões poderão ser utilizadas para salvar vidas? Bento XVI, o papa-renunciante, disse - em certa ocasião - que nenhuma chance de cura vale destruir uma vida humana. Para ele, quem usa célula-tronco embrionária incorre numa.

__Grave violação do direito à vida de todo ser humano.
 

Anos atrás, a Igreja Católica lançou uma campanha mundial contra legislações que preveem a união civil de pessoas do mesmo sexo e conclamou os políticos católicos a votar contra a proposta. Para o Vaticano, reconhecer direitos civis de homossexuais.

__Significa não apenas aprovar um comportamento desviado e convertê-lo em modelo para a sociedade atual, como também afeta os valores fundamentais que pertecem ao patrimônio comum da humanidade.

Divorciados casados novamente. Células-tronco embrionárias. União civil entre homossexuais. A sociedade gira numa velocidade maior que a doutrina.

Em nome da fé, muitos tiram o direito do próximo, aquele que Jesus pediu que amasse como se fosse a ti mesmo (Marcos 12:31).

Em nome da fé, muitos discriminam e usam o Todo Poderoso para justificar seus preconceitos. Afinal está nas Escrituras.

A doutrina, aquela cujo papel aceita tudo, mostra-se distante da realidade. Uma realidade incômoda para uma instituição secular e presa a tradições.

Essa realidade é aquela que inclui, por exemplo, divorciados e homossexuais tementes a Deus, e padres pedófilos, sacerdotes que quebram os votos da castidade, ou seja, religiosos que desfilam seus pecados capitais.

A doutrina é importante para direcionar o rebanho, mas fora da realidade e calcada nas tradições é apenas uma letra morta.

Nenhum comentário: