terça-feira, 18 de junho de 2013

Amizade é coisa séria

Elas são profissionais de saúde. Médicas. Enfermeiras. Psicólogas. Sociólogas. Trabalharam juntas num serviço regional. Além de construírem um projeto de melhoria do acesso ao usuário da saúde pública, criaram laços. E até hoje cativam esses laços. Afinal, os relacionamentos precisam de cuidado.

Os gestores mudaram. As prioridades são outras. As chefias foram substituídas. O projeto de saúde não é mais o mesmo. Logo após a mudança, os encontros do grupo eram regados ao desconforto da substituição, feita legitimamente por quem venceu as urnas.

__Você viu quem assumiu a diretoria tal?
__E a presidência?
__Nosso projeto vai acabar.
__Nosso projeto foi derrotado e isso faz parte da política.


O mal-estar era indisfarçável. Umas rogavam praga. Outras tentavam, em vão, desejar sucesso. E a vida seguiu seu rumo. Cada uma  em seu setor. Nada como o tempo para curar as dores da troca, a angústia da substituição. O tempo tira o peso dos acontecimentos, torna mais leve a existência.

E hoje é assim. Elas estão mais leves, estão livres e, por isso mesmo, mais cheias de si. Agora, se encontram para colocar as gargalhadas em dia. E como gargalham. Todas juntas. Ainda bem que o espaço gourmet de uma tem isolamento acústico e que a outra não tem vizinhos próximos.

Feijoada. Lasanhas de vários tipos. Costelinha alho e óleo. Vinho. Cerveja. Refrigerante. Tudo é pretexto para o encontro. Bateu a saudade, o e-mail de alguém convida para o encontro. Afinal, amizade e comida combinam muito e tudo regado a um bom entusiasmo.

E como são entusiasmadas! Elas falam. Falam muito. Falam alto. Muitas ao mesmo tempo. Dramatizam a fala. Caras e bocas marcam a cadência das palavras. No relato, as histórias ganham cores que não tinham no acontecimento acontecido. De fora, podem até achar que se trata de briga, mas é apenas um encontro de amigas espontaneamente barulhentas.

No cardápio do encontro, sempre muita alegria. Muita mesmo. A frustração dos primeiros encontros foi substituída. E foi tarde. O grupo não celebra a vontade de voltar a dirigir o mesmo serviço, apesar de depositar respeito ao trabalho da época. Para a maioria, isso é passado. Foi bom. Foi necessário. E passou.

Hoje elas brindam a vida e a amizade. Uns vínculos são mais fortes que outros, mas o respeito norteia a convivência e a reunião de todas. Beber. Gargalhar. Comer. Gargalhar. Contar um causo. Gargalhar. Soltar uma piada. Gargalhar. Elas gargalham de si mesmas. Elas gargalham umas das outras. Porque isso é amizade. E amizade é coisa séria.

Nenhum comentário: