sexta-feira, 5 de julho de 2013

Inquietudes (171) do Rei

Alguns cartazes chamam a atenção nas manifestações de médicos nesta semana, contrários à importação de profissionais de medicina de outros países. Os manifestantes querem a aprovação do Ato Médico no Congresso Nacional. 

A luta pela saúde pública, que é deficitária em investimentos e recursos humanos, é legítima e necessária, mas por trás do jaleco médico se esconde um grande interesse corporativista.

O Ato Médico é o que torna exclusivo dos médicos determinados procedimentos, hoje realizados por outras categorias da saúde. É portanto um projeto de reserva de mercado que atende mais ao interesse dos profissionais de medicina e menos ao interesse público da saúde.

Nenhum comentário: