sábado, 24 de agosto de 2013

Inquietudes (177) do Rei

Tenho lido comentários raivosos sobre a "importação" dos médicos cubanos para atender onde os médicos brasileiros não querem ir. O principal argumento é a forma de remuneração dos cubanos, na qual a maior parte vai para o governo de Cuba. Argumentam que isso é trabalho escravo. Quanta consciência em relação ao outro! 

Pena que não refletem nem lutam pela sua própria condição. A maioria é trabalhador brasileiro com salário baixo, jornada excessiva, condições de trabalho degradantes, acúmulo de funções, ou seja, direitos trabalhistas pisoteados pelo empresariado ávido por lucros.

E depois, o problema é Cuba.

Nenhum comentário: