quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Um dia depois

A roupa branca vai ficar de molho para expulsar as manchas da comida.
O glamur da mesa arrumada cedeu lugar à pia cheia de pratos sujos.
Os copos e as taças arrumadas estão espalhados pela casa inteira.
Juro que o próximo réveillon será na casa de outro.
Caroços cuspidos de azeitonas podem entupir os ralos.
Latas bebidas de cerveja decoram o tanque.
As festas da véspera e do dia primeiro terminaram.
Alguns restos congelados servirão a mesa no próximo final de semana.
Pedimos em som alto amor e paz e saúde e felicidade e amor.
Desejamos bem baixinho sexo e dinheiro e dinheiro e sexo.
Que o ano novo nos ouça tanto no som alto quanto no baixo.
Um ano se foi e o outro se aconchegou.
E se 2014 não for o que desejamos?
Tudo bem, faremos tudo de novo para 2015.

2 comentários:

Renata Cabrera disse...

Rei, se 2014 for tudo igual, de novo, e longe de pessoas queridas como você, ainda assim vale repetir cada minuto! Sinto saudades de nossas conversas e espero em breve te fazer uma visita. Beijo grande e que 2014 seja feito aqueles chocotones da Copenhague, bem recheadão!!! Abraço e muitas energias boas pro trabalho, família, alma, corpo e realizações pessoas.

ogle bacchi disse...

Reinaldo,

Não fazemos o genero Poliana, tampouco despencamos pro lado do Mark Twain com seu sarcastico Tom Sauer. Vamos por onde o filosofo chama de justo meio. Celebramos o celebrável...a vida !!! Clamando a intervenção Divina naquilo que terrivel, e denunciando sempre que possivel o temerário. Assim será nossos anos até que nos sobrevenha os ventos da Eternidade. Abraços é sempre bom ler suas cronicas parecem ser rápidos e saborosos encontros!!!!!