quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O julgamento do mensalão desandou?


No julgamento do mensalão, o ministro Joaquim Barbosa se destacou.
O menino pobre da Veja - para a cadeia - muitos mensaleiros mandou.
No dia da Proclamação da República, os petistas trancafiou.
Condenados a regime semiaberto estão em regime fechado, com isso o Brasil não se incomodou.
Herói do mensalão, Joaquim Barbosa justiceiro virou.
O ministro do STF, a política partidária criminalizou.
A condenação de mensaleiros tinha caráter exemplar e simbólico, a oposição cunhou.
Essa tese, muito ministro comprou.

Para muitos, o julgamento da AP 470 um ponto fora da curva se transformou.
A decisão da maioria do Supremo (6 a 5), neste 27/02, revendo a formação de quadrilha, foi um "voto político", Barbosa acusou.
Luís Roberto Barroso e Teori Zavaschi, os mais novos ministros, o presidente do STF atacou.
Para ele, voto jurídico é do ministro que condenou.
Acusação frágil, condenação sem provas, provas tênues, domínio do fato; pouco importou.

Fazer-se de vítima é uma estratégia que Barbosa armou.
Fez biquinho, caras e bocas, cabisbaixo ficou.
Deixar o cargo como o ministro que pela justiça mais lutou.
A imagem de justiceiro-mor realmente colou.
Candidato à Presidência da República? Joaquim Barbosa não negou.
E o julgamento do mensalão ainda não acabou.

Nenhum comentário: