domingo, 6 de julho de 2014

Repreensível, lamentável e condenável


A mais nova vítima do linchamento virtual, que se pratica no Brasil (e pelo jeito no mundo todo) desde a democratização da internet e das tecnologias digitais, chama-se Camilo Zúñiga, o jogador colombiano, responsável pelo lance que tirou Neymar da Copa do Mundo.

Nem discuto a necessidade de punição ao jogador pela Fifa. Suarez, o uruguaio da terceira dentada em um jogador, desta vez em um italiano, quase foi banido do futebol. A condenação do uruguaio, também necessária, foi desproporcional ao crime cometido.

A Fifa anunciou que abriu processo de investigação e que uma comissão analisa as imagens da entrada de Zúñiga em Neymar, que acabou com uma vértebra fraturada. A federação bem que pode, junto com o colombiano, punir exemplarmente o árbitro espanhol Carlos Velasco.

Nada indica que Velasco será punido. Pelo contrário, a Fifa até elogiou a atuação desastrosa dele. O árbitro é o grande responsável pelas entradas duras da partida, por não tê-las coibido com cartão amarelo, quando necessário. No episódio Zúñiga em Neymar, o espanhol não marcou falta nem deu cartão.

A joelhada de Zúñiga é repreensível, lamentável e condenável. Repreensível porque se configura num ato antiesportivo. Lamentável porque provocou uma lesão séria em Neymar. Condenável porque a lesão provocada por Zúñiga tirou Neymar da Copa do Mundo realizada no Brasil.

Repreensível, lamentável e condenável é o linchamento de Zúñiga. A filha do jogador, de 2 anos, em seu facebook virou alvo dos fundamentalistas internéticos, os que costumam confundir justiça com vingança; misturar liberdade de expressão com incitação ao crime e à violência.

Alguém sugere estourar a coluna da filha do jogador. Outro profetiza que a menina será estuprada. Mais um proclama que merda de menina é essa, feia que dói. Mais outro chama a garotinha de puta. E há quem diga que o jogador vai ter a sua mulher arrombada.

O internauta percorre as redes do esgoto da web. A opinião deixa de ser opinião e vira difamação, calúnia, injúria. A violência cometida em campo por Zúñiga atinge patamares ainda maiores fora dele. O torcedor atinge seus dois joelhos nas costas do respeito, do bom senso e da civilidade. Atitude repreensível, lamentável e condenável.


A imagem deste post foi reproduzida de um texto de Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo.

Nenhum comentário: