sábado, 30 de agosto de 2014

Na mesma moeda


A torcedora do Grêmio Patrícia Moreira que aparece em vídeo, viral na Internet, xingando de macaco o goleiro do Santos - o Aranha - teve uma atitude condenável, digna de condenação com base na legislação do país. No caso, injúria racial.

No afã de fazer justiça com o goleiro, muitos internautas - indignados com o racismo da moça - partiram para o ataque e desqualificaram-na, com adjetivos dignos do mais machista e sexista.

Isso significa que os defensores do goleiro Aranha - atordoados pelo preconceito contra os negros - atacaram a moça e também disseminaram o preconceito, que supostamente combatem.

O preconceito é contra a mulher, já que chamar a torcedora do Grêmio de vagabunda, por exemplo, é convocar a Maria da Penha, por se caracterizar violência (verbal) contra a mulher.

Fazer justiça não é rebaixar o agressor ao nível da agressão que cometeu e quando se paga um crime com outro crime, na mesma moeda, muda-se apenas a vítima.

Nenhum comentário: