sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Aprendizado Brasil



As eleições de 2014 ensinam muitas coisas para o Brasil.
Se o brasileiro quer aprender com elas é outra história.

O Brasil não sai das urnas dividido porque não se divide o que está dividido.
A divisão não é geográfica; é social.
Essa divisão não é homogênea.

Muitos eleitores pobres e de classe média baixa votaram em Aécio.
Muitos eleitores de classe média alta e alta votaram em Dilma.
Muitos eleitores pobres e de classe média anularam seus votos.
Muitos eleitores de classe média alta e alta anularam seus votos.

O senso comum que aflora durante as eleições não é novidade.
Assim como não é novidade o ódio despejado contra o candidato vencedor.
A desqualificação do eleitor do vencedor mostra a intolerância para aceitar a derrota.
Não foi meu candidato bom que perdeu.
Foi o candidato ruim que venceu.
Já repararam que é sempre o outro que vota errado?

O preconceito é irmão da discriminação.
Todo nordestino não é vagabundo.
Todo paulistano não é trabalhador.
Separar o Brasil?
Construir um muro do Acre ao Espírito Santo?
Deixar o país?
Se propostas segregacionistas fossem a solução, o mundo viveria em paz.

Respeitar o outro é um processo de aprendizagem.
Acatar a vontade da maioria é um processo de aprendizagem.
Viver a democracia é um processo de aprendizagem.
E a gente só aprende tudo isso se estiver disponível para isso.

As eleições de 2014 ensinam muitas coisas para o Brasil.
Se o brasileiro quer aprender com elas é outra história.

Imagem: autor desconhecido.

Nenhum comentário: