sábado, 6 de dezembro de 2014

Inquietudes (237) do Rei

O Brasil está acostumado a uma sociedade de privilégios, que ataca – impiedosamente – os direitos básicos do outro. Muitos que defendem auxílio-isso, auxílio-aquilo para si mesmo berra contra o bolsa-isso e o bolsa-aquilo. Auxílio-isso é direito. Bolsa-isso é esmola. Auxílio-aquilo é prêmio para desempenho pessoal. Bolsa-aquilo é estímulo à acomodação. Como se vê, persistem os dois pesos e as duas medidas, dependendo dos interesses e dos envolvidos. Enquanto o brasileiro achar que tem mais direito que o outro, os privilégios e as regalias nunca deixarão de existir. 

Nenhum comentário: