quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Eleitores traídos



Dilma. Beto Richa. Geraldo Alckmin. Voto consciente. Eleitor traído. Agora a maioria dos eleitores reclama que os candidatos, hoje presidenta e governadores do Paraná e São Paulo, mentiram durante a campanha de 2014. 

Uma inquietude me sobressalta. Eles mentiram ou disseram o que você - eleitor - queria ouvir.

Na campanha, você é eleitor. No governo, você é cidadão. E essa divisão é ruim porque somos cidadãos o tempo todo e eleitor somente a cada dois anos.

Como nossa democracia é um adolescente, ainda precisamos aprender muito sobre política, eleições, partidos e políticos.

Não costumamos ler programa de partido nem as propostas do candidato; não pesquisamos a viabilidade das propostas feitas; não investigamos as relações partidárias nas coligações; não pesquisamos a vida do candidato nem como ele se manifesta em temas polêmicos. Ajudaria muito nesses exemplos, se a mídia brasileira fizesse mais jornalismo e menos propaganda política. 

Já que agora você se sente traído, responda!

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente o aumento de imposto para custeio da máquina e dos programas de governo?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente o corte de despesas que pode afetar os serviços públicos que você usa?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente a supressão de direitos de trabalhadores como forma de economizar?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente o aumento do preço da gasolina para manter o equilíbrio da economia?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente a revisão dos critérios do seguro-desemprego e de auxílios da Previdência Social porque também há fraude nesses benefícios?

Você servidor público votaria em candidato se ele defendesse um teto para a sua aposentadoria porque o orçamento tem limite?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente o aborto porque milhares de mulheres morrem todos os anos?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente o casamento gay porque todos são iguais perante a lei e o estado é laico?

Você votaria em candidato se ele defendesse abertamente a descriminalização das drogas porque usuário é diferente de traficante?

Os exemplos não faltam, mas você pode dizer que os argumentos aqui apontados para cada questionamento são equivocados. 

Tudo bem, podem até ser, mas isso não muda os questionamentos em si. 

E sem uma reforma política profunda, principalmente, com a proibição de doações de empresários para candidatos, tudo vai permanecer como está. 

E se você insistir que política não se discute, daqui a quatro anos - mais uma vez - você estará reclamando que os candidatos mentiram mais uma vez.

Nenhum comentário: