sexta-feira, 10 de abril de 2015

Inquietudes (254) do Rei

Desde o início, encarei a delação premiada com desconfiança. Primeiro, porque quem assina o acordo é um bandido confesso. Segundo porque é um atestado dos investigadores (Polícia e MP) de que não conseguem provar a culpa do acusado e precisa do próprio para isso. Ou seja, é uma relação promíscua. Agora, Paulo Roberto Costa muda a versão da delação que fez. Mentiu antes ou mente agora? Alguma vez disse a verdade? E agora Sérgio Moro?

Nenhum comentário: