segunda-feira, 8 de junho de 2015

Questões para Indiana


“Eu não preciso do feminismo, porque os direitos dos homens são tão importantes quanto os meus, não preciso de leis específicas, regalias, ou privilégios apenas por ser mulher. E não preciso me vitimizar para alcançar meus objetivos.”

Indiana Arlete tem causado furor na internet por ter compartilhado o texto acima, em seu perfil no Facebook.  

Mais que repreensão, ela precisa de ajuda e, por isso, algumas questões podem fazê-la refletir sobre o tema ao qual se aventura, com informação de menos e preconceito demais.

1) A licença maternidade de quatro meses na iniciativa privada e seis meses no serviço público é regalia? Indiana, quando você engravidar e tiver bebê vai abrir mão desse direito e voltar ao trabalho na semana seguinte ao parto? 

2) Você sabia que a lei Maria da Penha, que manda o agressor para a cadeia, não é um privilégio, mas sinal de uma sociedade conservadora e atrasada que agride suas mulheres, apenas por serem mulheres?

3) Você sabia que a cada 90 minutos, no Brasil, uma mulher é assassinada simplesmente pelo fato de ser mulher? A lei Maria da Penha que é específica para punir o agressor não é necessária?

4) Você sabia que o assassino geralmente é o marido, o companheiro, o namorado ou outro familiar da vítima? Ou seja, é sempre um conhecido próximo.

5) Você sabia que o mercado de trabalho paga para a mulher cerca de 30% a menos que paga para os homens? Uma lei que garanta a isonomia salarial é regalia ou necessidade porque as mulheres são discriminadas?

6) Indiana, você diz que “a Mulher no Ocidente não é oprimida!” Então o que explica tanto assassinato e desrespeito à legislação que você chama de regalia e privilégio?

O feminismo das “tetas murcha”, aquele da militante que brada contra a opressão masculina e contra a violência doméstica, deve irritar muito, incomodar demais quem deveria ser atraída para a causa.

Enquanto a mulher – a principal vítima – achar que o feminismo é o problema, o machismo continuará liberado para discriminar e matar.

Pena que muitas mulheres do tipo teta de silicone se darão conta disso muito tarde. 

Nenhum comentário: