segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Inquietudes (279) do Rei

O deputado federal Alessandro Molon deixou o PT e foi para a Rede. O senador Randolfe Rodrigues e a ex-senadora Heloísa Helena, ambos do Psol, também vão para a Rede. Quem vai disputar as eleições 2016 precisa se filiar ou trocar de partido até sexta-feira (dia 02/10). Do jeito que vai, a Rede de Marina Silva vai ser acusada de crime ambiental: pescar na piracema.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Aí, a família

Aí... uma desconhecida na página de um portal noticioso, sobre a exclusão dos casas gays do conceito de família do Estatuto da Família, escreveu algo mais ou menos assim.

__Os casais homossexuais não podem ser considerados família porque não geram descendentes.

Eu tive de perguntar.

__Fulana, me diga uma coisa... então, um casal formado por homem e mulher, no qual um é estéril e não gera descendente, não pode ser considerado uma família?

Desserviço à nação


A Câmara dos Deputados (em comissão especial) aprovou hoje (dia 24) o texto do Estatuto da Família que promete muita polêmica. O texto prevê que o conceito de família é composto pela união de "homem e mulher".  O art. 2º diz:

"Para os fins desta Lei, define-se entidade familiar como o núcleo social formado a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou união estável, ou ainda por comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes."

Neste sentido, criança educada pela avó ou pelo tio ou pelo irmão mais velho não tem família; adolescente educado por padrasto/madrasta ou por madrinha/padrinho não tem família; criança educada por mãe social em abrigo não tem família.

No afã de atingir os gays, os conservadores do Congresso acertaram milhões de famílias que não integram o conceito tradicional. Isso sob o aplauso de uma sociedade que não tolera quem é diferente. O preconceito presta um grande desserviço à nação.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Inquietudes (278) do Rei

Se o governador tucano de São Paulo, Geraldo Alckmin, ganha um prêmio por gestão hídrica, não seria justo honrar o também governador tucano do Paraná, Beto Richa, com o selo de Amigo do Professor?

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Inquietudes (277) do Rei

O ódio contra os pobres saiu do armário com força por causa das redes sociais, mas a elite brasileira é o que sempre foi: mesquinha e promotora da exclusão.

O documentário é dos anos 1990, exibido na extinta TV Manchete. As falas do passado representam muita gente do presente. Infelizmente.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Inquietudes (276) do Rei

Alguém pode me explicar porquê a maioria dos autores dos vídeos do Youtube em seus canais tem de falar rápido e o tempo todo como se a vírgula fosse atrapalhar seu raciocínio e a pausa natural da fala fosse fazer o internauta desconectar ou passar para outro vídeo que se não tiver o mesmo formato também não será visto e ainda a mania desse povo falar meio gritado como se o internauta não tivesse um botão de volume para aumentar o som?

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Aí, o concurso

Aí... a minha conhecida – debatendo política – disse que o governo precisa cortar gastos.

__É preciso enxugar os gastos públicos. 

Eu a estimulei a falar.

__O governo gasta muito, disse ela.
__E gasta muito mal, disse eu.

Ela continuou.

__São muitos programas. Tem de cortar a metade.

Sorri, como que concordando.

__Os gastos têm de ser mais eficientes. Corta o desnecessário.

Balancei a cabeça de cima para baixo. Ela se animou ainda mais.

__ Eu sou pelo estado mínimo. 

Não aguentei. Tive de perguntar. 

__Se você defende o estado mínimo por que você vive prestando concurso público?

Fiz cara de tonto.

__Ah! entendi. Você quer estado mínimo... para os outros, né!

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Inquietudes (275) do Rei

Impor castigo desproporcional à culpa não é justiça. Não impor castigo proporcional à culpa não é justiça. A justiça nem sempre é justa, mas toda injustiça é necessariamente injusta.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Aí, o mérito


Aí... o meu conhecido diz que as pessoas devem vencer pelo próprio mérito; não devem depender do governo e de mais ninguém.

__Porque somente com muito esforço pessoal, você vai vencer na vida.

Não aguentei.

__Seu avô não era um rico fazendeiro, acusado de grilagem, e você não é um dos herdeiros dessas terras?

Me empolguei.

__Seu pai não é um grande empresário acusado de sonegação fiscal e você não é diretor da empresa?

Me empolguei ainda mais.


__Você não mora em um apartamento de alto padrão, herança de uma avó?

Não tinha como voltar.

__ Você não estudou em escolas caras desde o prezinho; nunca andou de ônibus; era buscado na escola com carro com motorista e nunca arrumou a própria cama?

Finalmente, me fiz de sonso.

__ Do que você estava falando mesmo? 

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Inquietudes (274) do Rei

Quer dizer que o mundo está chocado com a morte do menino sírio quando tentava chegar à Turquia, fugindo de seu país? Aylan Kurdi, de 3 anos, virou símbolo da tragédia dos refugiados. Isto é consequência da guerra civil e da expansão do Estado Islâmico instalados naquela parte do mundo, depois que EUA e Europa incentivaram a Primavera Árabe, para tirar ditadores do poder. Ditadores adversários, depois de longo tempo como aliados. Os donos desta conta, agora, não querem os refugiados que ajudaram a criar. Enquanto o mundo não atacar as causas, vai continuar indignado com as consequências.

Inquietudes (273) do Rei


Me inquieta o reducionismo daqueles que comparam objetos incomparáveis; descontextualizam fatos, acontecimentos e ignoram a história. Resposta minha - um descendente de imigrantes italianos pobres que foram explorados no início do século passado - à publicação (acima) da página no Facebook de um tal Anarcomiguxos III.

Os italianos pobres, como meus bisavós - mesmo explorados - estavam em uma condição ainda melhor do que a dos negros. Os italianos pobres foram incentivados a virem ao Brasil. Não vieram laçados nem amarrados. Não foram açoitados pelos capitães do mato. Os negros foram escravizados e quando acabou a escravidão não tiveram acesso à terra como tiveram os italianos. Mesmo pobre, meu avô conseguiu comprar um lote. Quantos negros, ex-escravos, tiveram a mesma oportunidade? Não se trata de uma visão de esquerdista. Trata-se de conhecer minimamente a história. O resto é interpretação e preconceito.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Justiça ou justiça

A justiça que condena a cinco anos de prisão homem que roubou uma galinha é a mesma que absolve filho de Eike Batista, que atropelou e matou ciclista. 

A justiça que condena a empregada doméstica por ter furtado pote de manteiga é a mesma que absolve o banqueiro Daniel Dantas, de espionagem comercial.

A justiça que diz que nem todo crime menor merece perdão é a mesma que concede liberdade para o filho de Ivo Pitanguy, que – bêbado - atropelou e matou uma pessoa em acidente de carro.

A justiça brasileira que prende José Dirceu duas vezes é a mesma que livra da cadeia o banqueiro Daniel Dantas

A justiça que condena 25 dos 37 réus no Mensalão do PT é a mesma que livra da cadeia, acusados tucanos, por não julgar o Mensalão do PSDB.

A justiça que condena 25 dos 37 réus no Mensalão do PT é a mesma que desobriga a CBF a mostrar contratos na Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a corrupção no futebol brasileiro.

Um símbolo importante da justiça é a cegueira, que revela a imparcialidade de quem julga. Este não pode enxergar status social, cor, ideologia de qualquer ordem. 

No entanto, quando o julgador enxerga seletivamente desequilibra outro importante símbolo, a balança, que representa a relação entre castigo e culpa. Nada mais triste que uma balança desequilibrada.

Impor castigo desproporcional à culpa não é justiça. Não impor castigo proporcional à culpa não é justiça. A justiça nem sempre é justa, mas toda injustiça é necessariamente injusta.