segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Convicção sem prova cabal

O Ministério Público federal (MPF) não tem provas cabais contra Lula, mas o mesmo PMF tem muita convicção de que “Lula era o comandante máximo da organização criminosa”. 

A coletiva-show da semana passada, para denunciar Lula, mostra que o estado democrático de direito respira por aparelhos.

Como pode um operário chegar à Presidência e não ter roubado? 

Como pode um retirante nordestino ter chegado à Presidência e não ter enriquecido ilicitamente? 

Como pode um trabalhador de nove dedos ter chegado à Presidência e não ter desviado recursos públicos? 

Como pode um analfabeto ter chegado à Presidência e não ter beneficiado sua família com esquema de corrupção? 

Lula roubou, enriqueceu ilicitamente, desviou dinheiro público e beneficiou a família com a corrupção. 

O MPF tem a convicção, mas não tem provas cabais.

E daí? 

O jogo segue.

Nenhum comentário: