segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Receita de chacina

Hypocrite, de Anton Semenov, artista russo.

Ingredientes
Um marido possessivo
Uma mulher que pede divórcio
Uma porção de intolerância a gosto
Misoginia e machismo à vontade
Muito discurso de ódio
Bastante intolerância
Impunidade

Modo de preparo
I
Para fazer a massa, pegue uma mulher que pede o divórcio ao marido possessivo que não aceita a separação.
Acrescente o machismo e polvilhe com pitadas de misoginia.
Reserve.

II
Enquanto a massa cresce, faça a cobertura com o discurso de ódio, disseminado pelos veículos de comunicação e pelas redes sociais. 
__direitos humanos para humanos direitos; liberação de armas para cidadãos de bem; político nenhum presta; bandido bom é bandido morto; Maria da Penha, a lei de proteção às vadias.
Acrescente a impunidade aos que praticam crimes, em nome da liberdade de expressão.

III
Espalhe a cobertura sobre a massa, polvilhe intolerância a gosto e abra fogo, com arma comprada ilegalmente. 

Finalização
Sirva bem quente
Rende 12 mortos

Sidnei Ramis de Araújo, que matou - na noite do réveillon - a ex-mulher, o filho e mais 10 pessoas deixou carta explicando e justificando seu ato. A carta circula pela internet e pode ser lida neste link do Diário do Centro do Mundo. A situação é complexa e, aqui, alguns pontos para reflexão.

I
"Eu morro por justiça, dignidade, honra e pelo meu direito de ser pai! Na verdade somos todos loucos, depende da necessidade dela aflorar!"

Não! Sidnei não matou nem morreu por justiça. Matou por vingança e morreu por covardia ao suicidar-se, para não encarar as consequências do seu ato criminoso, apesar de afirmar que não tinha medo de ser preso.

II
"Filho, não sou machista e não tenho raiva das mulheres (essas de boa índole, eu amo de coração, tanto é que me apaixonei por uma mulher maravilhosa, a Kátia) tenho raiva das vadias que se proliferam e muito a cada dia se beneficiando da lei vadia da penha!"

Sim! Ele era machista e misógino. Os não machistas respeitam todas as mulheres e não apenas as que consideram de boa índole. Esta é apenas mais uma versão do "a mulher tem que se dar ao respeito". Isso significa para os machistas e misóginos que as que não se dão ao respeito, seja lá o que isso for, merecem apanhar e até morrer. Quem pensa e age assim é machista. Simples assim.

III
"Filho te amo muito e agora vou vingar o mal que ela nos fez! Principalmente a vc! Sei o qto ela te fez chorar em não deixar vc ficar comigo qdo eu ia te visitar. Saiba que sempre te amarei!"

O amor não machuca; o amor não mata. Quem faz isso é o ego descontrolado de gente possuída por sentimentos bem mundanos, aqueles relativos ao mundo. 

Para refletir
O episódio na noite de réveillon, em Campinas, mostra um Brasil doente. Infelizmente, há muitos sidneis país afora: intolerantes, machistas e misóginos. E o pior: alimentados - dia a dia - pelo discurso de ódio contra a igualdade de gênero, de raça e de classe; contra o respeito às diferenças, aos diferentes, aos vulneráveis.

Para muitos, o mundo tornou-se chato por causa do politicamente correto, que prega igualdade, respeito e tolerância. Sidnei agiu de forma politicamente incorreta e levou consigo 12 pessoas. Como se vê, os incorretos transformam o mundo em um lugar ainda mais perigoso.

Nenhum comentário: